Luís Piçarra / “Caminho Errado “

imagesMeu  segundo  vídeo  de  Luís  Piçarra.  Grande  voz  que  nos  deixou  tantas  saudades.  Esta  canção  de  João  Nobre  é  quase  um  fado,  e  é magistralmente  interpretada.  Foi  um  prazer  juntar  imagens  e  “vestir”  o poema,  ao  mesmo  tempo  recordava  minha  infancia,  pois  em  pequeno lembro-me  bem  de  a  ouvir  tanta  vez.  Meus  amigos  –  aqui  canta  um Tenor  de  grande  categoria.  Um  abraço.  Américo

 

Américo / Triste Sorte

AMP

Fiz este vídeo para o dedicar ao Amigo António C. Moreira, pela sua entrega ao Fado, e em pugnar pela sua dignificação, sempre nos incentivando a realizar trabalhos com qualidade e com amor a esse Fado, que é tão nosso e que às vezes é maltratado. Tem sempre palavras de encorajamento e opina sempre em sentido positivo, e sente-se nele, o conhecimento e a causa da Verdade. Bem Haja Amigo António.
Com abraço . Américo

Vasco Casimiro “El Fado” Veio ao Kalunga

HPIM4595

Foi com muita alegria e amizade, que tivemos entre nós a passar uns dias o  Vasco  Casimiro, veio com  sua esposa e  filha,  e  no sábado  numa  das  “Noite do Kalunga”, deu-nos o prazer de compartilhar  a sua  alma fadista, cantando e trazendo nesse canto um cheirinho do seu Ribatejo, que ele adora.  Conheci-o  atravez do  seu  Blog  “El Fado”  aí  á  direita está o link para que o visitem. Ficam  esses registos para a recordação, e em mim a certeza de um novo amigo, do qual me honra sua amizade. Para ele, esposa e filha, aquele abraço, já com saudade, pois regressaram ao seu lar  hoje pela manhã.  Américo

Vasco e a família

Vasco e a família

HPIM4597

HPIM4601

HPIM4582

Carminho / Senhora da Nazaré

 

CRA 2

 

Carminho – A Fadista do Momento – Aqui trago meu 3º vídeo que faço dela, é um prazer enorme, enquanto juntamos imagens e vamos ouvindo esta voz que é Fado em tudo o que canta. –  ” Senhora da Nazaré ”  de autoria do Saudoso João Nobre. Um abraço a todos. Américo

 

Hino à Paz

 
 
Esta apresentação é de uns amigos de Cadiz, sul de Espanha , que em  2007  a  editaram.  Minha amiga Isaura de Vigo, há semanas atraz teve a gentileza de ma enviar, eu converti a apresentação em Vídeo e aqui está esta mensagem carregada sempre de actualidade. Parabéns aos Autores e um abraço

 

“Marquezas” de La Coruña

HPIM4554São duas Irmãs muito nossas amigas, Berta e Conchi, são de uma amizade sincera e verdadeira, que nos envaidece e nos deixa felizes. São encantadoras e nos trazem sempre Amigos e muitos. Além disso a “Marqueza Mor“, canta fado e canta muito bem, é um regalo escuta-la e toda a sala fica em silêncio quando Berta canta.  Na fotografia mal se vê a outra Marqueza,  Conchi,  lhe chamo  carinhosamente a “Empresária” da Irmã, ela e todo o grupo deste sábado depois de uma tarde linda na piscina, completaram o dia com o jantar e com os fados até madrugada. Foi uma noite bonita . Um beijinho para elas e para todos pelo calor da sua amizade. Américo

HPIM4563

IMGP0126IMGP0093IMGP0121IMGP0131IMGP0120

Meu cunhado Coelho com um casal Amigo, António Pedro e Natividade (Dª Piedade)
Meu cunhado Coelho com um casal Amigo, António Pedro e Natividade (Dª Piedade)

António Parreira / Balada da Saudade

Nasceu a 13 de Junho de  1946 nas Taipas – Stª Margarida da Serra , Grandola.

Desde muito jovem que se dedicou à música, começou por tocar  guitarra clássica (viola), tendo feito parelha com António Chainho, quando ainda ambos estava a viver no Alentarjo.   Decide  dedicar-se  à guitarra portuguesa. Em 1969 vem  para Lisboa começando a tocar em casas de Fado, inicia-se na Guitarra da Madragoa, inicialmente com o viola Armando Ferreira e pouco tempo depois com José Inácio, é aqui que toca primeiramente para meu pai e também tive a honra de me ter acompanhado, aliás  ganha enorme amizade com  meu pai, Alfredo Duarte Jr. , a quem acompanhou em diversos espectáculos em Portugal, estve ainda contratdo no Abil em Portugal, na Taverna de El-Rei, no Arreda  esteve também em Benavente a acompanhar Hermínia Silva, quando esta lá estava a cantar no Pôr-do-Sol,  aos fins de semana, acompanhou  também outros grandes nomes do Fado.

Foi durante cerca de 25 anos guitarrista privativo do Rodrigo, quer em espectáculos, quer no Forte D. Rodrigo.

António Parreira  também dá  aulas  guitarra portuguesa, e como “filho de peixe sabe nadar” não lhe foi difícil pôr a sua prole a tocar, é pai e mentor musical dos guitarristas Paulo Parreira e Ricardo Parreira.

António Parreira é um homem de fino trato, é estimado e admirado por toda a comunidade fadista.

Continua a tocar em recintos de Fado, actualmente actua no Pátio de Santana,  e simultaneamente dá aulas de guitarra portuguesa no Museu do Fado.

NOTA:Algumas biografias que circulam na Internet, que não deixam de ser uma homenagem ao António Parreira, mas têm erros que o póprio me pediu que solicitasse a sua rectificação, com os agradecimentos devidos. Como sabem este meu trabalho não tem a fiscalização do “Conselho Científico do Fado”, mas ninguém dúvida que sou uma fonte segura.

Com a devida vénia transcrevi do Blog “Lisboa no Guiness” do meu amigo Victor Marceneiro a quem agradeço as correções feitas ao enterior texto. Obrigado. Américo

À guitarra Portuguesa António Parreira e à viola Francisco Gonçalves

José Nunes / e a Guitarra

JN

A minha sincera homenagem a José Nunes, saudoso e talentoso guitarrista. Deixou-nos em 1979, foi guitarra de Amália durante anos, e como o fado não é só cantado, saibamos dar o valor a quem com seus dedos virtuosos dão ao fadista o apoio harmónico e cadenciado que este precisa para se exprimir cantando. Vídeo que ilustrei com algumas fotografias que fui buscar ao Blog de um grande Amigo e Homem do Fado, como é Victor Marceneiro e o seu “Lisboa no Guiness” Obrigado. Escutemos então José Nunes nesta maravilha musical, com o acompanhamento nas violas de José Inácio e Francisco Perez. Um abraço Américo