Américo / Noites no Kalunga

Recordando as Noites no Kalunga – Américo –  “Ó Meu País Guerreiro e Mareante” um poema de Maria Manuel Cid e música do saudoso António Mourão. Na guitarra portuguesa Manuel Baptista e na Viola de Fado meu filho Paulo Alexandre. Abraço a todos

Anúncios

Amália / Fado Menor

Amália no Menor com muita suavidade que é um regalo para os ouvidos. Gravação antiga mas o audio não sendo de qualidade super está muito bom. Letra do saudoso João Linhares Barbosa e música no Fado Menor . Algumas fotos são de autoria de Leonilde Henriques /( Lili para os Amigos) como ela gosta que a tratem GRANDE AMIGA DE AMÁLIA . Grato pelas fotos e bjinho para ela. Para todos que amam AMÀLIA este meu pequenino trabalho. Américo

Carlos Barra / Um Grito á Família

Regresso á voz do saudoso Carlos Barra, Fadista que nos deixou já há alguns anos, aqui a cantar um tema com uma história tantas vezes real e que ele lhe dá uma interpretação excelente com belíssima dicção. ” Um Grito á Família ” letra e música de outro saudoso,  o viola Paco Gonzalez (Paquito)

Um abraço aos amantes do nosso Fado. Américo

Maria de Lourdes / Manda embora esta Saudade

Com enorme prazer volto  com Maria de Lourdes, a querida Fadista portuguesa radicada há anos em S.Paulo – Brasil,  e com um fado muito bonito de autoria a música do saudoso guitarrista Jorge Fontes, e com letra de Domingos Silva. No acompanhamento estão o conjunto de guitarras de Manuel Marques,  com o acordeonista Fernando Ribeiro. Com um bjinho á querida amiga Maria de Lourdes. – Américo

Beatriz da Conceição . Eterna Saudade

Beatriz da Conceição – Que saudade ! Um belo dia visitou-nos estava de passagem para Espanha, e quis jantar e pernoitar em nossa casa. Do alto da varanda do quarto viu o nosso galinheiro e exclamou: “Ai não me digas, que belos frangos e eu pelo-me por uma cabidela caseira.” E assim se fêz minha mulher mandou apanhar um frango e a Bia teve a cabidela que queria, e  que adorou. Depois fizemos uma velada até ás tantas e o Fado por tema principal. Vários amigos á mesa, muitas confidências e histórias de sua vida, mas essas ficam só para nós. Aqui a relembro  num dos seus fados mais marcantes, Com letra de Artur Ribeiro e música num dos “Alexandrinos”, este de Joaquim Campos. Saudade eterna querida BIA . Descansa em Paz