Jorge Miguel / Procura-me esta Noite

Jorge Miguel – Um Fadista, um Senhor, um Amigo. Há anos radicado em Londres, mas fadista sempre, hoje a cantar um poema de Paco Gozalez e música de Alfredo Marceneiro ( Fado Laranjeira ) Com um, abraço ao Jorge, este meu “pequeno nada” com amizade e admiração Um abraço

Anúncios

Vasco Rafael / Que Fazes aí Lisboa

Muita saudade do Vasco Rafael – ” Que Fazes aí Lisboa” música do maestro Arlindo de Carvalho e letra de Mário Gonçalves – No acompanhamento estão : António Chainho, José Luís Nobre Costa, Mário Pacheco e Pedro Nóbrega. Saudações Fadistas. Américo

Maria Teresa de Noronha / Pombalinho

Volto a recordar DªMaria Teresa de Noronha e nela o prazer e o gosto de ouvir o Fado bem cantado e a qualidade de todas as suas interpretações. Grande Senhora que deixou em todos muita Saudade. – Fado Pombalinho de Georgino de Sousa a Música e com letra de Carlos Nozes. – Acompanham o Conjunto de Guitarras de Raúl Néry e o viola Joaquim do Vale – Saudações Fadistas . Américo

Maria Teresa de Noronha / Fado Anadia

Maria Teresa de Noronha aqui neste Fado a cantar pela última vez em público. Programa de D.João da Câmara na Ex – Emissoura Nacional. Esta Senhora tinha a arte de cantar bem – Fado Anadia com Letra de Marques dos Santos e mùsica de josé Maia de Cavalinhos – Acompanhamento do Conjunto de Guitarras de Raúl Nery mais o Viola Joaquim do Vale. Saudades de Todos!

Amália / Oiça lá ó Senhor Vinho

Amália só existiu UMA Edito este vídeo porque certa rádio transmitiu o mesmo tema por outra senhora que canta e até o tem gravado em cd, apelidando-a o locutor como a segunda Amália (Dá vontade de rir, ouvir as duas gravações e comparar. Meus senhores Amália só Há Uma – (Sim porque ELA para nós não morreu! Abraço Fadista – Américo ( parte dos slides são obra da minha amiga Mena e penso que algumas fotos são da nossa querida Lili (Leonilde Henriques) Obrigado

 

 

José Coelho / Eu Gosto Daquela Feia

Saudades, muitas saudades, deste Amigo e colega de noitadas fadistas, naquela Angola que tanto amavamos. O José Coelho, era um homem sempre alegre, muito amigo de todos, alma boa e que tratava o Fado como o Fado merece ser tratado. Vejam e oiçam como ele timbra, e como a sua dicção era irrepreensível , não se perdia uma palavra do poema que interpretava, além disso, sabia muito de Fado. Grande amigo, nunca me esqueço de nossas conversas, sobre Lisboa e o Fado com as saudades mais que muitas que nessa altura se sentia por estar longe da Pátria e dos Amigos que cá tinham ficado. Para ti com emoção um abraço na Paz do teu eterno descanso. Américo (O gaiato como me chamavas)

Américo / Louco de Saudade

Uma história comovente nos bonitos versos de Carlos Gaspar ” Louco de Saudade” na música do tradicional Carlos da Maia em sextilhas. A razão do vídeo? Minha amiga Mena, “obrigou-me” a buscar nos meus arquivos determinado fado não publicado, e já sem recordar encontrei vários , alguns nem recordava os ter gravado, gostei de recordar esta história. Um abraço a Todos. Américo